Os pólipos intestinais são alterações causadas pelo crescimento anormal do revestimento do intestino grosso, denominado de mucosa, nas regiões do cólon e reto. Essa alteração é muito comum no intestino, ocorrendo entre 15 a 20%, segundo a Sociedade Brasileira de Coloproctologia, entretanto é importante a remoção desses pólipos com a finalidade de se prevenir o câncer.

Apesar de muitos pólipos de cólon serem inofensivos, alguns podem evoluir para o câncer. Certos pólipos intestinais são mais susceptíveis de se tornarem cancerosos. Se assim o fizerem, podem levar muitos anos para que resultem em câncer de cólon.

COMO SURGEM OS PÓLIPOS?

Essas alterações surgem devido às eventuais mutações no material genético que modificam o comportamento das células que constituem a mucosa. Tais mutações podem surgir ao longo da vida. Estudos concluíram que a idade de maior risco para o surgimento dessas mutações se inicia após os 50 anos. Entretanto, um maior risco de mutações pode ser transmitido na família (hereditário) o que explica a importância de se pesquisar a história familiar ao analisar o risco de ter a doença.

TODOS OS PÓLIPOS DEVEM SER REMOVIDOS?

Todos eles devem ser removidos quando encontrados no exame endoscópico e enviados posteriormente para análise do médico patologista (exame histopatológico). A imensa maioria dos pólipos é removida através da colonoscopia, exame que permite a utilização de instrumentos delicados e especiais. Contudo, a localização e as características de alguns pólipos podem exigir sua remoção através de cirurgia. 

TIPOS DE PÓLIPOS 

Os pólipos podem formar-se em diferentes formas. Alguns termos para se referir aos seus formatos são planos (ou sésseis), tubulares ou com formato de cordão delgado, também conhecido como pedúnculo. Confira a seguir os principais tipos:

  • Adenomas tubulares

Os adenomas têm tipicamente três padrões de desenvolvimento: tubular, viloso, e tubuloviloso.

Os tubulares são o tipo mais comum de pólipos de cólon. São geralmente responsáveis por 80% de todos os pólipos adenomatosos. Os adenomas tubulares são tipicamente pequenos pólipos pedunculados, de tamanho inferior à meia polegada. Têm geralmente uma forma tubular ou arredondada.

Os adenomas tubulares geralmente levam anos para se formar. Tipicamente, quanto maior for o pólipo, maior é o risco de se tornar canceroso.

  • Adenomas vilosos

Os adenomas vilosos são geralmente pólipos em forma de dedo ou em forma de folha e crescem em um aspecto de “couve-flor”. Os adenomas vilosos são mais susceptíveis de se tornarem cancerosos. São responsáveis por 5-15% de todos os pólipos adenomatosos.

  • Adenomas tubulovilosos

Alguns pólipos contêm uma mistura de crescimento tubular e viloso, ou seja, tubuloviloso. Possuem normalmente 25-75% de características de vilosidades, e representam cerca de 5-15% de todos os pólipos adenomatosos.

  • Adenomas serrilhados

Esses pólipos contêm tecidos com um aspecto de “dente de serra”. Existem dois tipos: adenomas serrilhados sésseis e adenomas serrilhados tradicionais.

A maioria dos adenomas serrilhados são sésseis e assemelham-se a pequenas saliências em relevo.

Os pólipos serrilhados sésseis tendem a transportar um baixo risco de se tornarem cancerosos desde que não contenham grandes alterações celulares. Os adenomas serrilhados tradicionais, ou não serrilhados, são mais raros e tipicamente pedunculados. Carregam um risco elevado de se tornarem cancerígenos.

Se você busca por informações e exames endoscópicos de profissionais com alta capacitação, respaldo científico e atendimento humanizado, a Endorp é a clínica certa para você. Em caso de dúvidas, entre em contato ou agende o seu exame.

Endorp Endoscopia&Diagnóstico

Deixe uma comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram